Escápula Alada: principais causas, tratamentos e importantes dicas

escapula-alada-dr-thiago-caixeta-especialista-ombro-cotovelo

Escápula alada, também conhecida como discinesia escapular, é uma condição médica em que a escápula, osso triangular das costas, fica em uma posição incorreta, o que pode ocasionar dor e fraqueza na região do ombro e também dificultar a realização de movimentos simples.

Apesar de ser considerada uma disfunção rara, a escápula alada costuma acometer com mais frequência atletas profissionais e amadores que praticam modalidades como natação, tênis, vôlei, handebol, entre outras.

Escápula alada: quais são os sintomas?

A escápula alada pode causar uma série sintomas, a dor e o desconforto na região do ombro, pescoço e costas são alguns deles. O paciente também pode ter dificuldade para erguer o braço, sofrer com perda de mobilidade do ombro, sentir formigamento por toda extensão do braço, crepitação escapulotorácica (estalos próximos à escápula), etc.

Se os sintomas descritos acima não forem tratados, o indivíduo terá dificuldades para realizar tarefas simples do cotidiano, como pentear o cabelo, fechar o sutiã, escovar os dentes, segurar sacolas, etc.

Escápula alada: o que pode causar discinesia escapular?

A discinesia escapular pode surgir devido a lesões nos nervos ou mesmo por causa do enfraquecimento dos músculos serrátil anterior e trapézio, responsáveis por dar sustentabilidade à escápula.

Contratura muscular; levantamento excessivo de peso, bursite do ombro; lesões por esforço repetitivo; danos em alguns nervos, como o torácico ou espinhal; hérnia de disco; má postura; tendinite do ombro; perda progressiva da função muscular; luxação do ombro, traumas; pancadas fortes; lesões no manguito rotador; e até mesmo infeções podem desencadear escápula alada.

Escápula alada: como é feito o diagnóstico?

Para fazer o diagnóstico da escápula alada, primeiramente o ortopedista especialista em Ombro e Cotovelo realiza uma avaliação clínica, momento em que analisa a posição da escápula e pede para o paciente fazer alguns movimentos com os ombros e braços. Durante esses exames físicos é possível constatar se há limitação dos movimentos e, ainda, se o paciente sente algum desconforto ou dor.

Além do exame físico, o médico também pode solicitar exames de imagens, como radiografia ou, ainda, o eletroneuromiografia, exame que possibilita identificar a atividade muscular e diagnosticar alterações nervosas.

Após realizar esses exames, o ortopedista especialista em Ombro e Cotovelo indicará o melhor tratamento para o paciente de acordo com a gravidade da disfunção. Quer saber quais são? Então continue a leitura do texto.

Escápula alada: quais são os tratamentos?

Após ser diagnosticado com escapula alada e ter a causa identificada, sejam desordens funcionais ou até mesmo lesões neurológicas, o paciente precisa iniciar o tratamento o mais rápido possível para aliviar a dor e evitar a perda progressiva dos movimentos do ombro e braços.

Dentre os tratamentos conservadores (sem cirurgia), o especialista pode indicar a fisioterapia para relaxar, fortalecer e melhorar a flexibilidade dos músculos da região escapular. Além disso, as sessões de fisioterapia também ajudam a aliviar a dor e o desconforto.

O médico também pode recomendar o uso de uma tipoia para que a escápula fique presa às costelas, caso o osso esteja desprendido da caixa torácica. Assim, é possível estabilizar a escápula, evitando que ela fique em uma posição incorreta.

Nos casos mais graves, onde existe a compressão do nervo torácico ou espinhal, o ortopedista especialista em Ombro e Cotovelo pode indicar um procedimento cirúrgico para descomprimir o nervo e reposicionar a escápula. Após a cirurgia, o médico pode recomendar sessões de fisioterapia, pois a modalidade ajuda na recuperação.

Escápula alada: 10 exercícios que podem fortalecer a musculatura da cintura escapular

Como mencionamos ao longo deste artigo, quando os músculos das costas estão fracos, é possível que o paciente seja acometido pela escápula alada. Por isso, é crucial fazer exercícios para fortalecer a região e evitar esse e outros problemas que afetam os ombros.

Então, a seguir, confira 10 exercícios ajudam a fortalecer os ombros e, ainda, aliviam a dor. Todos devem ser feitos sob a supervisão de um profissional da Educação Física, fisioterapeuta ou personal trainer.

  1. Alongamentos
  2. Elevação lateral com halter
  3. Levantamento frontal com halter
  4. Remada com barra
  5. Rotação com halter interna e externa
  6. Remada baixa com elástico
  7. Fortalecimento em diagonal
  8. Crucifixo inverso com cabos
  9. Estabilidade do ombro na posição prancha
  10.  Desenvolvimento por trás

Compartilhar nas redes sociais.

Pinterest
Facebook
WhatsApp
Twitter

Procura por Ortopedista Especialista em Ombro e Cotovelo?

Dr. Thiago Barbosa Caixeta

ortopedista-ombro-cotovelo-goiania-dr-thiago-caixeta